terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Barbara Linhares no Almanaque Shoujo Mangá

Faz tempo que eu a bajulo em meus Blogs (sim houe outros que foram engulidos pelos hospedeiros como o do UOL e o Blogger Brasil, a qual a Globo.com tem direito exclusivo à marca Blogger no Brasil. Exclusivo mesmo, pois o serviço só está disponível para assinantes Globo.com. Se você já é assinante, tudo bem. Se não é, não vale a pena a despesa. Afinal temos o blogspot.) Bem... voltemos ao que interessa!

Bem.. fazia tempo que eu falava sobre ela e a intitulei "Rainha do Shoujo no Brasil" pois essa é a especialidade dela, pra quem leu o saudoso Shoujo Mangá Dream (ai se ela relançasse todos... suspira).
E num belo domingo, dia 13 de dezembro, enco
ntro o ALMANAQUE SHOUJO MANGÁ - o poder da sedução feminina na banca de revistas no BIG da rua Orestes Guimarães. Custo? Apenas R$19,90! É pra comprar e pôr na estante com orgulho! =^_^=
Ali na página 41 temos três páginas dedicadas a ela em forma de entrevista onde mostram a nós uma ilustração e dois trabalhos novos e coisas que sempre gostaria de saber dela... Início, inspiração etc. Um dos doujins eu tenho. É o "Peter Pan, the Second Day" e o outro me é inédito: "Phasismo Two". Será que ela vende por correio como fazia antes?! =oO

Bem... Agora descanso feliz depois desse precioso reconhecimento feito pela Editora Escala a nossa mais querida mangaká % doujinshiká de shoujo do nosso Brasil, que foi uma ótima reunião de todo esse conteúdo. Há algumas falhas e repetições de texto (como na página 32), mas nada que desfaça a magia desse compêndio.
Engraçado como são as coisas. Uma semana antes estava eu numa escola a palestrar sobre HQ e citei a falta de reconhecimento não só a Barbara Linhares mas a outros artistas de quadrinhos em nosso Brasil e justamente, recebi esse presente de Kami-sama através do trabalho da Editora Escala. Parabéns aos responsáveis pelo almanaque! Omedetô minasan!!! \o/

Dominus tecum!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

APOIANDO

Ontem foi a estréia de Destróia, uma peça a qual participo como ator e a razão de postá-la aqui: PETER ROGER HQ está como os apoiadores desta peça. Foi uma alegria ouvir entre a lista de apoiadores o nome ser entoado antes do início.
Trabalhei com as caricaturas e, ao invés de valores, aceitei em ver minha logo estampada no programa da peça; dá-me um gosto melhor aos olhos e ego, vê-la ali. =^_^=
Intimamente era algo que eu sempre gostaria de fazer quando via outros seguimentos ao apoiarem algo e pensei que só quando estivesse grande conseguiria, mas mesmo pequenino no ramo, já tive a oportunidade de fazer meu 1° patrocínio! Mais uma vitória na lista!

O programa é disposto como uma porta, simbolizando o portão dos muros de Tróia, e ao abri-lo você tem acesso ao conteúdo e às caricaturas. O espetáculo foi bom e houve um aplauso em pé, o que nos deixa feliz. Ser aplaudido pelo público sentado é uma coisa, significando que gostaram, contudo, em pé, significa que adoraram.
Maiores detalhes sobre
“Destróia” clique aqui!

Bem fico por aqui e trago mais novidades da próxima vez!

Dominus tecum.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O PREFEITO DE JOINVILLE LÊ PEDRO

Carlito Merss é o atual prefeito de Joinville e um dos mais novos leitores de Pedro, o Diferente.

Quem poderia imaginar que o prefeito da maior cidade do estado de Santa Catarina, Joinville, estaria na I Semana Regional no Jardim Paraíso? Eu nem contava com essa presença.

Indo sempre onde o leitor está, eu marquei presença na Feira a convite da Inês e Rita, como eu já mencionei e comentei no artigo anterior. Seria uma semana normalíssima se não aparecesse uma figura inusitada e comprasse de uma só vez toda a coleção de Pedro, o Diferente.


Estava eu ali fazendo uns desenhos numa pausa e outra (ganho a vida com ilustrações) pra apressar o meu serviço e daí eu percebo uma sombra. Outro curioso pensei. Levanto a cabeça e vejo em camisa de botão o prefeito.

Ele pergunta a mim: “O que é isso?”

Eu: “Doujinshi!”

Ele: “Tá, mas... o que é isso que você falou?!” ¬¬’

Eu: “Traduzindo seria algo como ‘gibi caseiro’. Um produto artesanal!”

Ele: “Que legal. Eu gosto de gibi. Tu pode me dá um?”

Eu pensei: “Dar?!” – Dei dois segundos de reflexão e coloquei o n°12 Na mão dele (pois o desenho da capa tá bem chamativo).

Ele ia se virar pra sair e seguir caminho entre as outras barraquinhas quando eu disse: “Espere! Eu tenho que pôr o meu carimbo de ‘cortesia especial’ quando eu dou um doujin a alguém, é a minha política pessoal.”

Daí ele volta e diz: “Então vamos fazer assim... Me vende tudo que você tem aí de gibi.”


É claro que eu fiquei feliz e comecei a separar explicar a seqüência de numeração e o valor total. Ele pegou uma nota de vinte, umas moedas e dizendo que era uma boa se livrar das moedas e eu ri. Aproveitei e pedi pra ele tirar foto como “eu leio Pedro” e uma assessora dele deu sua opinião: “Ei, porque tu não tirar uma foto com ele?”




Daí eu pensei: “É! É uma boa idéia! =^_^=

Voltando ao papo de sair do meio otaku e começar a freqüentar ambientes diferenciados quero mostrar que há essa e outras possibilidades que eu ainda hei de experimentar.

Imagine um doujinshiká numa feira popular de Sampa, Curita ou Brasília vendendo sua coleção a uma figura de importância para a mídia. Seria no mínimo fabuloso.

No dia seguinte eu conversava com minha tia e confabulava: “Como será que o prefeito estará reagindo a história, personagens e a proposta doujinshi? Será que está curtindo ou achando uma porcaria? Bem que eu gostaria de saber!”

Acho que não tenho mais nada a escrever e dividir, mas espero ler em algum blog de algum doujinshiká perdido no mar da internet uma experiência similar ou mais incrível.

Dominus tecum!